Guias de Manejo para Câncer de Mama e de Próstata

O projeto Guias de Manejo para Câncer de Mama e Câncer de Próstata tem como objetivo desenvolver guias de nível internacional que sirvam como padrão para diagnóstico e tratamento de pacientes oncológicos de Porto Alegre, dando segmento ao projeto em parceria com o C/Can na cidade.

A padronização nos processos do cuidado oncológico para esses dois tipos de câncer se faz necessária devido ao fato de ambos apresentarem alta prevalência e incidência.

O câncer de mama feminino é o mais incidente no mundo, correspondendo a 11,7% dos novos casos. Desconsiderando os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o que apresenta maior incidência no Brasil e em todas as regiões do país. Para a região Sul, o risco estimado para 2023 é de 71,44 casos por 100 mil habitantes (Instituto Nacional de Câncer – INCA, 2022).

O número de novos casos está aumentando rapidamente em países de baixo e médio desenvolvimentos, entretanto, o câncer de mama, quando tratado adequadamente e com diagnóstico precoce, apresenta bom prognóstico.

Ainda com base nos dados do INCA de 2022, o câncer de próstata é o mais incidente na população masculina no país e em todas as regiões, com risco estimado de 57,23 casos a cada 100 mil na Região Sul. Em termos de mortalidade no Brasil, ocorreram, em 2020, 15.841 óbitos por câncer de próstata, equivalentes ao risco de 15,30 mortes a cada 100 mil homens. Mundialmente, esse tumor é o quarto mais frequente entre o total de casos de câncer (7,3%).

Ao padronizar o diagnóstico e tratamento, espera-se que o paciente oncológico receba o que há de mais atual e cientificamente validado no mundo para o cuidado de qualidade.

Parceiro Estratégico: C/Can
Parceiros de Colaborações: Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e Sociedade Brasileira de Patologia

Notícias Relacionadas

Guia de Câncer de Mama: recomendações para o diagnóstico e tratamento

A Guia de Câncer de Mama: recomendações para o diagnóstico e tratamento na cidade de Porto Alegre busca fortalecer a gestão multidisciplinar de câncer invasivo nas principais instituições de tratamento de Porto Alegre, promovendo a padronização do atendimento oncológico baseado em evidências e o acesso aos melhores cuidados possíveis para esses pacientes.”